Os erros mais comuns em uma transmissão ao vivo amadora

07/ago

Como citado no post anterior sobre a qualidade de uma transmissão ao vivo no Facebook para empresas, as novas formas de interação com o público pelas redes sociais ainda geram dúvidas sobre a qualidade da transmissão.
Pela praticidade de poder gravar um vídeo e jogá-lo na rede a qualquer momento, muitas empresas esquecem que a qualidade dessa transmissão ao vivo amadora também vai transmitir uma mensagem sobre a marca. A lógica é a mesma usada em vídeos institucionais de má qualidade.
Por isso, listamos 6 erros ao realizar uma transmissão ao vivo amadora:

1 – Usar notebook e webcam

Por mais que a tecnologia tenha evoluído, a qualidade da imagem produzida por estes equipamentos nunca vai se igualar às imagens produzidas por câmeras profissionais.
O resultado é nítido. Baixa taxa de resolução, imagens granuladas, sem nitidez de foco, imagem com a luz estourada, cores alteradas, tudo isso é comum em uma transmissão ao vivo amadora e vai influenciar na mensagem que está sendo transmitida no vídeo.

2 – Usar uma rede de internet compartilhada

Uma transmissão ao vivo amadora feita por uma empresa que usa a rede de internet compartilhada e/ou com baixa taxa de transferência (upload), tem quase 100% de chances de ser interrompida ou apresentar falhas.
Um exemplo: a empresa está no meio de uma transmissão ao vivo, e de repente, a imagem começa a travar, ficar atrasada, chegando ao ponto da conexão cair. O público vai ter a impressão de que a marca não se preocupou em ter um bom sinal de transmissão.
O ideal é a contratação de uma rede dedicada de internet para realizar transmissões. Além disso, dois links de internet garantem mais segurança, pois em qualquer emergência é possível utilizar a outra rede.

3 – Local sem luminosidade

Muitas vezes detalhes importantes como a luminosidade do local da gravação passam despercebidos em uma transmissão ao vivo amadora. No entanto, são esses detalhes que vão gerar resultados negativos.

Uma cena mal iluminada passa imagem de falta de cuidado e conhecimento técnico, além de estragar a experiência do receptor da mensagem, invalidando toda a estratégia da transmissão.

4 – Captação de Áudio de má qualidade

O uso dos microfones que já são acoplados em câmeras de celular ou notebook são mal posicionados e não apresentam boa qualidade se o objetivo é transmitir um áudio claro e limpo.
O áudio é tão importante quanto imagem, e mesmo se o local da transmissão for uma sala de escritório, por exemplo, o uso de microfones profissionais é essencial para evitar barulhos externos, chiados e outros ruído, por mais mínimos que sejam.

5 – Duração da transmissão muito longa ou muito curta

O tempo da transmissão é precioso, e ao fazer uma transmissão ao vivo amadora e sem planejamento, o conteúdo pode ficar jogado, sem um objetivo específico. É preciso definir a pauta do vídeo, aspectos abordados e tornar o conteúdo o mais dinâmico e objetivo possível.

6 – Não informar seu público com antecedência

Uma transmissão ao vivo não se baseia apenas em ligar a câmera e começar a falar. É preciso de um público para assistir e evidenciar o conteúdo. As estratégias do marketing precisam andar lado a lado das transmissões ao vivo, pois é a partir delas que a empresa terá o público de sua transmissão. Ações promocionais nas redes sociais, e-mail marketing, entre outras, vão impulsionar o conteúdo, além da possibilidade de conquistar novos nichos.

Conheça os serviços de transmissão ao vivo da Cross Host na página de streaming do nosso site, ou entre em contato!

Comments (1)

Luciane Silva
14 de agosto de 2017

Oi! Amei a postagem e achei muito top o seu blog!
Muito agradecida pelas dicas.

Luciane

Envie seu comentário